Indisciplina em sala de aula

South American

Dentro de sala por motivos diversos alguns alunos se tornam indisciplinados por dificuldades no aprendizado, síndromes, problemas familiares, entre outros fatores. Muitos professores lamentam: “Antigamente era assim…”. A geração é essa e todos que atuam hoje devem estar preparados. O professor precisa aprender a utilizar-se de técnicas que o mantenham em paz, aceitando o que não podem mudar. Afinal ficar vivendo de passado não ajuda em nada.

O olhar de amor por parte do professor muitas vezes minimiza e até zera o problema de indisciplina. A escola Adventista visa preparar alunos para a eternidade, não somente para esse mundo. Partindo desse pensamento, os professores devem se preocupar com o testemunho que vai muito além da sala de aula.

A escritora Ellen White diz no livro “O caráter e a obra do Professor” que, os docentes devem ter um olhar diferenciado para cada estudante, manifestando amor e ternura, que ajudem a reparar os erros que vão prejudicar o caráter. Devem ter intimidade com Deus e permitir que Ele guie todo o processo.

Para lidar com a indisciplina, temos que lembrar de algumas questões:

  1. Aceitar que em algum momento o professor não terá́ controle sobre aquele determinado aluno e o que ele faz não é ocasionado pela falta de profissionalismo do mestre. Geralmente o estudante tem essa atitude por causa de problemas pessoais.
  2. Tente manter o equilíbrio emocional necessário para desempenhar um excelente papel com os outros alunos. Afinal, quando um aluno desequilibra um professor, a turma inteira perde e a saúde do que está em desequilíbrio emocional também. No livro “Inteligência Emocional”, o escritor Daniel Goleman fala que é necessário se conhecer bem para aprender a controlar os impulsos. Quem sente dor muitas vezes quer causar dor em outro, com o objetivo de minimizar seu próprio sofrimento. Nesse caso, a empatia ajuda a manter o controle.
  3. Procurar uma forma de se aproximar dos alunos. Projetos de visitação de alunos têm sido adotados por grande parte dos professores da rede, com excelentes resultados. Os alunos e as famílias se tornam mais próximos e amigáveis, conhecendo a realidade deles com empatia. Grandes trabalhos de evangelismo surgem dessa iniciativa.

A indisciplina certamente é um desafio para o professor, mas o profissional empenhado em ajudar o aluno não desistirá dele e continuará traçando estratégias diferentes até que alguma gere o resultado esperado. Envolver a a família, quando essa deseja ajudar no processo, e a escola também são importantes para alcançar o êxito.

O desafio destacado por Aristóteles é: “Zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa”. Mantenha em mente que muitas vezes a atitude do aluno é influenciada por vários problemas e questões emocionais. Em situações de indisciplina pense na importância do trabalho educativo que transforma vidas.

Author

Avatar

Jocilene é pós-graduada em Educação Especial e pós-graduada em Gestão Escolar. Concluiu vários cursos na área educacional, é Master coach, especialista em inteligência emocional e relacionamentos. Há 6 anos é professora do Ensino Fundamental I no Colégio Adventista de Cariacica e também atende como coach. Foi professora na área de informática educacional por 5 anos até 2013, entre outras experiências.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *