O uso do portfólio na Educação Infantil

Assessment & Evaluation

A Educação Adventista vê a educação como o desenvolvimento harmônico de todas as potencialidades humanas, para capacitar seus alunos a exercer a cidadania. Preocupa-se com a formação do caráter, com a aquisição de valores, com o desenvolvimento da autonomia, da identidade e do processo de interação social. Prima pelo aprendizado lúdico, levando em consideração que a criança é um ser pensante e que traz consigo experiências de vida e conhecimentos prévios (Pedagogia Adventista, 2009).

Nesse contexto, os portfólios são um método importante para apontar o progresso individual da criança e a eficiência da prática do educador. Em se tratando da prática na Educação Infantil, o portfólio pode ser construído de diversas maneiras. Hoffmann (1991, p. 86), afirma “[…] a observação atenta e curiosa sobre as manifestações de cada criança e reflexão sobre o significado dessas manifestações em termos de seu desenvolvimento, são pressupostos básicos para uma proposta de avaliação na Educação Infantil”.

Segundo Shores e Grace (2001, p. 47), a habilidade de desenhar evolui de rabiscos até a representação de um modo previsível para a maioria das crianças, embora a taxa desse progresso varie de modo significativo.

A fotografia também é uma estratégia de preservar e de apresentar informações sobre o que e como a criança está aprendendo. “Esse recurso captura a vida da sala de aula, especialmente quando se é capaz de tirar fotografias imparciais.” (SHORES E GRACE , 2001, p. 54).

“No plano da consciência corporal, a criança começa a reconhecer a imagem de seu corpo, o que ocorre principalmente por meio das interações sociais que estabelece e das brincadeiras que faz diante do espelho. Nessas situações, ela aprende a reconhecer as características físicas que integram a sua pessoa, o que é fundamental para a construção de sua identidade” (Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, 1998). É essencial trabalhar atividades que lhes confiram materialidade, evidenciando-as no portfólio.

O tempo e o espaço da educação infantil precisam ser mediados pela ludicidade, e também pela existência de situações que favoreçam a autonomia de cada criança. Muitas atividades e tarefas sem significados não resolvem nada. É preciso ter cuidado para não estimular as crianças em excesso ou até forçá-las a aprender aquilo que não está em seu universo de interesse.


Nota: Artigo escrito e postado em Português.

Author

Cíntia de Jesus de Souza, Pós graduada em Coordenação Pedagógica e Orientação Educacional pela Faculdade Adventista Paranaense(IAP), Pós graduada em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação Especial Inclusiva, Pedagoga e Licenciada em Letras. Atua como Coordenadora Pedagógica e Orientadora Educacional na Escola Adventista de Tubarão, Santa Catarina, Brasil. Há 9 anos serve a Educação Adventista, na Escola Adventista de Tubarão.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *